Jesus ao nascer foi numa manjedoura ( Lucas 2:7) agora eu lhe pergunto: se Deus quisesse não teria feito Jesus nascer no mais belo palácio que já existiu? Com certeza sim, mas Ele fez isso, acredito eu, para nos mostrar o quanto que essas coisas são de mínima importância, o triste é que muitas vezes damos muito valor a coisas que não merecem e pouco as que realmente o tem e foi também por causa desse apego as coisas matérias que Jesus disse: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas! (Lucas 18:24 ), pois os mesmos em sua maioria não visam as coisas do alto, mas sim na sua arrogância e prepotência confiam no dinheiro e se esquecem de Quem lhes deu a vida, pensando nas coisas desse mundo que são passageiras (2 Coríntios 4:18 )
É importante lembrar que o poder de Deus se aperfeiçoa nas fraquezas, pois quando somos fracos então somos fortes (2 Coríntios 12:9-10), desse modo o homem reconhece e tem humildade para saber quem é o Dono do Poder, então Ele renova nossas forças: “Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.” (Isaías 40:31)
Muitas vezes me pego comparando a mim com uma “criancinha” que necessita constantemente dos cuidados do Pai, foi o que senti domingo na Joy (minha igreja) ao me lembrar dos versículos 4 e 5 do Salmo 24 que Diz: “Aquele limpo de mãos e puro de coração…” então me imaginei mostrando minhas mãozinhas sujas de “criança” (de tanto que falhei) para Deus, foi quando vi minhas mãos sendo lavadas pelo sangue de Cristo derramado na cruz e só me restou muita gratidão, por saber que apesar de tudo Ele não desiste de mim.
E se todos esses versículos não o convenceram fiquemos com o exemplo de quem Pode todas as coisas: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.” (Filipenses 2 : 3, 5 e 8)