Tudo que Deus faz conosco tem um propósito. As lutas e aflições podem até nos debilitar e fazer com que desistamos de seguir o rumo desejado por Ele para nossas vidas, mas sabendo que a Sua vontade é boa, perfeita e agradável, o Senhor nos visa sempre o melhor, ao permitir que passemos por todas essas dificuldades.

            Voltemos na história. Relembremos o que José passou: foi invejado e perseguido pelos irmãos, vendido como se fosse escravo e levado ao Egito (Gênesis 37:4; 37:27-28), no Egito serviu a Potifar, foi seduzido pela mulher deste e aprisionado inocentemente por acusação caluniosa de que teria abusado dela (Gênesis 39:7-23). Lá na prisão Deus começou a mudar a situação dele, concedendo-lhe a capacidade de interpretar os sonhos do copeiro-chefe, do padeiro-chefe e o do Faraó, o qual vendo sua tamanha sabedoria o elevou ao cargo de governador do Egito. A história não acaba por aqui.
No sonho do Faraó, José preanunciou primeiro os sete anos de abundância e logo depois os sete anos de fome sobre toda a Terra de modo que vários povos iam a José comprar mantimento (Gênesis 40; 41:25-57). Deus, através deste fato, fez com que os seus irmãos fossem até ele sem saberem e, a partir disso, livrá-los daquela situação. José, ao revê-los, lembrou-se de tudo o que sofreu por causa deles, mas não se revelou de imediato. De início, trata-os duramente e com astúcia, cria situações a fim de amedrontá-los e ameaçá-los até que chegamos ao clímax da história: o momento em que José não se contem e se revela como o irmão que eles tanto desprezaram no passado. A partir daí José passa a entender o propósito de Deus em todas as aflições e humilhações passadas até chegar ali (Gênesis 45:4-8). Deus o colocou naquele posto para manter em vida o povo que escolhera para a herança, a terra de Canaã (atual região da Palestina), prometida a Abraão e aos seus descendentes – Isaque (filho de Abraão por promessa de Deus), Jacó (também chamado Israel, pai de José e seus irmãos) e posteridade (Gênesis 12:1-9). O Senhor está no controle de tudo e de todos. Pelos seus, Ele até permite que passemos pelas mais adversas situações para que, lá na frente, se cumpra o Seu propósito em nós.
Analisemos a já citada referência: Gênesis 39:7-23. José em todas as dificuldades permaneceu fiel a Deus e verificamos isto, por exemplo, na tentação que sofreu, não cedendo às investidas da mulher de Potifar que queria “deitar-se” com ele. Raciocinemos: se ele não tivesse resistido, mas cedido à tentação carnal, aquela mulher encobriria o fato do marido para continuar traindo-o secretamente, visto que José era formoso de porte e de aparência, e o nosso amado irmão não teria sido preso, ao passo que não seria abençoado por Deus, tornando-se governador, através do Faraó, ao interpretar os sonhos, ainda como preso, além de desobedecer a Deus possuindo a mulher do próximo.
 Em todas as tribulações permaneçamos no Senhor, nunca duvidando do seu poder e com a certeza de que Ele está à nossa frente pelejando, pois ninguém impede o seu agir e o que estejamos passando agora serve para nossa própria edificação e aperfeiçoamento, porque Deus sempre quer o melhor pra nós, assim como está escrito: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8:28). Amém!



                                                                                                             Caíque Marques de Almeida

Fonte: http://www.mdoulos.blogspot.com/