“As forças já me estão faltando para prosseguir e o meu caminho, mais dificil fica cada vez! O que eu achava que podia já não é o bastante…” Esse trecho da canção Ponto de Partida do Grupo Logos, nos fala muito acerca da nossa caminhada na vida cristã. Não somos invencíveis como nos julgamos ou como muitos nos julgam. Somos humanos e fracos, e passíveis de todas as formas de erros. Isso me faz lembrar a passagem bíblica do fariseu e do publicano que subiram ao templo para orar. Somos semelhantes àquele fariseu que em seu orgulho se sentia numa posição melhor que a do publicano. Contudo, quando as agruras dessa vida nos afligem, perdemos muitas vezes o rumo e nos encontramos numa situação para a qual não conseguimos achar uma saída que nos faça retomar o rumo e assim darmos prosseguimento a nossas vidas. Mas tudo isso ocorre porque a nossa confiança está depositada em nós mesmos e não Naquele que é o Autor e Consumador da nossa fé. Por isso que somos semelhantes ao fariseu orgulhoso e arrogante que se vale de seus próprios méritos para se apresentar diante de Deus como sendo merecedor de suas dadivosas bênçãos. Puro e tolo engano.
As agruras da vida não nos mandam sinais, scraps, sms ou publicam em nossos murais o dia e à hora em que baterão contra nós para nos afligir e nos mostrar quão frágeis e humanos nós somos. É nessa hora que as forças nos faltam e o nosso coração se mostra enganoso. Outro trecho da música supracitada nos diz o seguinte: “Sentindo o poder, fugindo-lhe por entre os dedos… não conseguindo mais guardar segredos… seu coração precisa de Jesus!” Isso nos coloca na situação que citamos acima. As agruras nos fazem, ou melhor, revela a nossa fragilidade real, nos mostrando que não é pela nossa própria força ou pelos nossos méritos que conseguiremos superar as adversidades que nos assolam, ou como dizemos que nos aperreiam.  Nessa hora, o nosso espírito farisaico se mostra inútil ante as adversidades, e assim pensamos: “estamos perdendo rumo, não sabemos onde nem como vamos parar!” Não há mais saída! Não tem mais jeito! Essa situação é sem solução! Pobres pecadores nós somos! Onde está àquela arrogância que nos fazia bater em nossos peitos e nos proclamarmos merecedores das benesses de Deus? O que o nosso orgulho pode fazer diante das adversidades da vida? Se Deus não intervier com sua soberana graça, o que nós fracos humanos podemos fazer em nossa débil força?
Em meio a essas agruras que nos afligem a ponto de nos fazer enfermar nos encontramos com uma pergunta que também está na letra da música tão já mencionada: “Será que vale a pena ainda prosseguir? Será que acharei pra vida ainda uma saída, que me coloque em ponto de partida, na direção pra que eu ache a paz?” Quando tudo em nossa vida está ao contrário, quando as feridas ao invés de cicatrizarem parecem doer ainda mais é nesse momento onde a nossa consciência nos mostra que o nosso enganoso e podre orgulho para nada serve, e que se não for o agir da graça soberana de Deus sucumbiremos ante as agruras da vida! Em meio a toda essa correnteza de situações adversas na qual somos arrastados nos esqueçemos que Alguém nos observa, olha, acompanha e tudo vê! Esse Alguém não é outro senão Jesus, o Cristo de Deus, e como nos diz à música que tão exaustivamente citamos: “é certo que o Senhor já sabe onde você está, é claro que Ele é poderoso para salva-lo sim! Por isso pare agora mesmo, antes que a vida acabe… enquanto sabe que a esperança existe, peça a Jesus que lhe estenda a mão!”
Cristo sabe muito bem onde estamos e o que está acontecendo em nossas pobres e frágeis vidas. O controle de todas as coisas a Ele pertence! Nada foge ao seu controle! E saber disso, deveria ser suficiente para nos alegrar o coração mesmo em meio às dolorosas agruras de nossas vidas. Deveria retumbar em nossos corações as palavras de Paulo em sua segunda epístola aos coríntios: “De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos preplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos.” (II Coríntios 4.8-9) Em meios a esse mar revolto nos esqueçemos de olhar para Deus e para a sua rica e santa palavra, que nos aconselha e nos guia em todas as áreas de nossas vidas. Diante disso tudo o nosso espírito farisaico tomba ante a soberania de Deus e o que deve brotar em nossos corações é a atitude humilde e sem máscaras daquele publicano miserável que se humilhava diante de Deus sem sequer ao menos ser digno de levantar os olhos para o firmamento, por temor e tremor de Deus! As adversidades, tribulações, perseguições, agruras ou qualquer outra nomenclatura que usemos serão constantes na vida cristã, pois, como nos diz as santas Letras: “… os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.” (II Timóteo 3.12) Mas, é aí que reside toda a diferença, a saber, que uma vez que vivemos em Cristo, Ele estará conosco em todo o tempo, todos os dias até o fim dos séculos, ou seja, sendo sabedores dessa verdade absoluta poderemos clamar a Ele com a certeza de que Ele nos ouvirá e se lhe aprouver Ele intervirá em nosso favor! E como nos diz a música mais do que repetida ao longo desse artigo: “será que vale mesmo a pena ainda então pedir? é claro, só assim a vida tem uma saída! é desse modo que se enfrenta a lida! é desse jeito que se acha a paz!” Enfrentamos a vida e, por conseguinte a lida confiando unicamente em Jesus em todo o tempo!! Que possamos nos lembrar das palavras do nosso Mestre: “Tende bom ânimo!” (João 16.33).
Que Deus nos abençoe!!!
Soli Deo Gloria!!!
                                                                                          Joel da Silva Pereira
Obs. O título desse artigo foi inspirado na música de mesmo nome do Grupo Logos!!

fonte: http://espacoreformado.blogspot.com/